RSS

Arquivo da categoria: Saúde Homem

Exercícios protegem contra disfunção erétil


O que os cientistas queriam era encontrar um mecanismo que pudesse atuar simultaneamente sobre a disfunção erétil e o risco cardíaco.

viaExercícios protegem contra disfunção erétil.

É possível tratar os problemas de disfunção erétil com medicamentos ou formas alternativas? Descubra!


É possível tratar os problemas de disfunção erétil com medicamentos ou formas alternativas? Descubra!

Escrito por Dr. Claudio Teloken

Qua, 29 de Junho de 2011 12:39

Os tratamentos para disfunção erétil mais comuns disponíveis no mercado e comprovados por estudos controlados como eficientes são:
•Psicoterapia comportamental.
•Controlar e tratar os fatores de risco que produzem disfunção, quais sejam: praticar exercício físico, diminuir peso, dormir adequadamente – tratando apneia do sono e ronco –, abandonar fumo, álcool destilado, cocaína, crack, maconha, tratar dislipidemia (baixar colesterol, triglicerídeos, glicose), tratar doença de Peyronie, tratar alterações hormonais, diagnosticar e tratar baixa de percepção de comemorativos eróticos (o homem costuma perceber ruídos, odores, visões, etc. com caráter erótico. Estes atos são comemorativos eróticos circunstanciais e que, quando não percebidos pelo homem, sabe-se que algo está mal).
•Tratamento da depressão.
•Tratamento via oral utilizando-se medicamentos inibidores da fosfodiesterase 5: tadalafila, sildenafila, vardenafila, iodenafila, udenafila.
•Farmacoterapia intracavernosa. Para os indivíduos não beneficiados com os medicamentos via oral, usar medicamento injetado no corpo cavernoso do pênis, isolado ou combinado, minutos antes da atividade sexual, obtendo-se rigidez peniana suficiente para o coito.
•Para homens que não respondem a tratamentos via oral nem farmacoterapia intracavernosa, existe a cirurgia de implante de prótese peniana. A prótese é implantada em regime ambulatorial e pode ser maleável (o paciente dobra para baixo ou para cima quando tiver interesse em atividade sexual) ou inflável. Esta produz um resultado cosmético e funcional mais adequado, mas é cara. Da mesma maneira que se implantam hastes nos corpos cavernosos, implanta-se uma bombinha, menor do que o testículo, no interior do escroto e um reservatório ao lado da bexiga, tudo através da mesma incisão. O paciente, para obter ereção, comprime a bombinha no escroto, desviando o líquido do reservatório para o pênis, comprime por 2 segundos a parte superior da bomba escrotal e devolve o líquido para o reservatório, tornando o pênis completamente flácido.

Existe alguma “forma alternativa”, sem medicamentos? Existem casos que realmente não precisem dos medicamentos?

As formas alternativas, sem medicamentos, são a valorização da autoestima, através da terapia comportamental, que é muito eficiente. Com o desaparecimento do “medo” através dessa terapia, frequentemente não é necessário medicação. Também o tratamento da ejaculação precoce torna mais seguro o indivíduo e consequentemente robustece a rigidez peniana, melhorando a performance sexual.

Sobre os medicamentos: há contraindicações? E o que fazer nesses casos?

Os indivíduos que usam nitratos não podem usar os inibidores da fosfodiesterase 5, pois poderão ser contemplados com hipotensão. Destarte não deverão usá-los. Esses deverão se submeter à farmacoterapia intracavernosa ou implante de prótese peniana.

Algumas pessoas acreditam que soluções caseiras como gemada, ovo de codorna, catuaba ajudam. É mito?

Trata-se de mito e alguns homens declaram “benefício”. Trata-se do efeito “placebo” e não há absolutamente comprovação científica de que os ingredientes acima mencionados melhorem a performance sexual do ser humano, como libido, rigidez peniana e controle ejaculatório.

Dr. Claudio Teloken – CRM RS8513 – é Doutor pela Wayne State University – Detroit, MI – USA e pela Universidade de São Paulo – UNIFESP. Fellowship na Cleveland Clinic, Cleveland OH – USA. Professor Doutor, Livre-Docente da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA


Médico urologista norte-americano fala sobre fratura do pênis


Médico urologista norte-americano fala sobre fratura do pênis

Publicada por Dr. Tufi Dippe Jr

A fratura do pênis poderá ocorrer quando há um trauma no pênis ereto. Durante uma ereção, o pênis enche-se de sangue. Se o pênis ereto é dobrado repentinamente, o trauma poderá romper o revestimento (túnica albugínea) de um dos dois cilindros no pênis (corpos cavernosos), responsáveis ​​pela ereção. O resultado será uma fratura do pênis. O trauma geralmente relaciona-se com uma relação sexual “acrobática” ou “agressiva”. Em alguns casos, a fratura do pênis poderá ocorrer após uma masturbação vigorosa.

“A fratura do pênis é uma lesão dolorosa que muitas vezes é acompanhada por um estalo audível, seguido imediatamente pela formação de uma hematoma escuro no pênis, devido ao sangue que escapa dos corpos cavernosos. Em alguns casos, o canal que drena a urina proveniente da bexiga (uretra) poderá ser danificado, por isso, poderemos observar a presença de sangue visível na urina após uma micção (hematúria)”, diz o Dr. Erik P. Castelo, médico urologista da Mayo Clinic (Rochester, Estados Unidos).

A fratura do pênis requer uma abordagem médica urgente, e pode ser diagnosticada com um simples exame físico do pênis. A reparação cirúrgica imediata é normalmente recomendada. Caso esta fratura não seja tratada, poderá resultar em uma deformidade do pênis ou a incapacidade de ter ou manter uma ereção (disfunção erétil).

Fonte: Mayo Clinic.

Síndrome de Kleine-Levin: conheça o distúrbio que faz um indivíduo dormir quase 24 horas seguidas


Síndrome de Kleine-Levin: conheça o distúrbio que faz um indivíduo dormir quase 24 horas seguidas

Escrito por Dra. Ilce Marile Froih

Sex, 29 de Julho de 2011 14:52

A síndrome de Kleine-Levin é uma rara desordem caracterizada pela necessidade de quantidades excessivas de sono. É um distúrbio do sono que sempre foi considerado raro, no qual o indivíduo dorme de 16 a 24 horas seguidas. Isso é chamado de hipersonia. Quando o indivíduo acorda após esse período, sofre de um comportamento desinibido e extremamente hipersexual.

Causas

Acredita-se que seja um distúrbio hereditário, pois recentemente foi relatado o caso de uma família da Arábia Saudita em que 18 dos 25 integrantes apresentavam essa síndrome. Outros acreditam que essa condição seja resultado de uma doença autoimune.

Se o portador dessa síndrome tiver uma hipersonia mais branda, pode ser difícil de identificar.

Muitos casais não dão importância a esse tipo de alteração de comportamento mais brando, podendo passar a vida toda sem que essa queixa chegue até um médico.

Na literatura médica a síndrome de Kleine-Levin tem sido descrita com mais frequência ultimamente. Os 18 pacientes descritos na Arábia (5 eram mulheres, 13 homens) tinham idades variando de 12 a 55 anos (idade média de 18 anos).

A média de duração desses sintomas foi de 1,5 ano e cada paciente teve em média 6 episódios. A média de duração de cada episódio foi de 91,2 horas, com uma variação de 18-300 horas. Assim, 12 pacientes tiveram uma história de hipersonia, 3 somente insônia e 3 tiveram os dois: insônia e hipersonia.

Essa síndrome também causa variação no apetite: 5 pacientes tiveram hiperfagia, 11 tiveram o apetite diminuído, 2 não tiveram alterações do apetite. Todos os pacientes melhoraram com fármacos destinados à epilepsia e calmantes.

Características

A síndrome de Kleine-Levin é caracterizada pela tríade: hipersonia, megafagia e hipersexualidade.

Jovens do sexo masculino são mais comumente afetados. A patogênese da doença é desconhecida. Seu diagnóstico é baseado em dados clínicos. Não há dados específicos aos exames laboratoriais.

Tratamento

O tratamento, apesar de até hoje não ter uma versão definitiva, é baseado em estimulantes centrais, antidepressivos, lítio e antagonistas da serotonina. São receitados para os pacientes estimulantes, que diminuem o sono excessivo deles.

Dra. Ilce Marile Froih é especialista em Psicologia da Saúde e lidera um grupo de pesquisas sobre a síndrome.

Hematospermia: doença atinge adultos jovens e idosos


Hematospermia: doença atinge adultos jovens e idosos

Escrito por Dr. Manoel Antonio Guimarães

Qua, 20 de Julho de 2011 09:40

O que é hematospermia?

Hematospermia ou hemospermia significa a presença de sangue no líquido seminal ou esperma.

Essa doença atinge homens de diferentes idades?

Sim, a hematospermia atinge desde os adultos jovens até os homens idosos.

Quais são suas causas?

As causas da hematospermia são: hipertensão arterial, traumas, infecções ou inflamações das vesículas seminais ou da próstata e tumores pélvicos.

Como essas causas interferem no processo?

Essas causas promovem o sangramento e os elementos sanguíneos serão drenados através das secreções glandulares e eliminados com o esperma.

Como ocorre o aparecimento do sangue no esperma?

O aparecimento de sangue no esperma tem relação direta com as glândulas responsáveis pela produção do líquido espermático: próstata e vesículas seminais. Se uma dessas duas glândulas exócrinas está inflamada, traumatizada ou infeccionada, pode ocorrer sangramento para o interior do sistema glandular e, consequentemente, hemospermia.

Quais são os principais sintomas?

Os principais sintomas da hematospermia são o esperma avermelhado ou amarronzado, desconforto, dor perineal ou no abdômen inferior.

Qual o tratamento para essa doença?

Felizmente a grande maioria desses casos é benigna e evolui para a cura espontaneamente. Se for detectada uma causa específica, essa deve ser tratada. Em casos persistentes, nos quais não se tem causa aparente, os inibidores da enzima 5-alfa-redutase podem ser usados por um período de três ou mais meses.

O aparecimento de sangue no esperma pode estar ligado a outros problemas mais graves?

Sim. É fundamental que se exclua alguma doença grave, como uma neoplasia, inflamação, infecção.

Quais são esses problemas?

As lesões benignas como os cistos e principalmente os tumores malignos que incluem a próstata são particularmente importantes.

Dr. Manoel Antonio Guimarães é médico formado pela Universidade Federal do Paraná. Fez Residência Médica em Urologia na Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, onde hoje atua como professor. Também possui doutorado em Urologia pela USP. CRM-PR 9849

Dieta e beleza: conheça os alimentos que deixam você mais bonito


Dieta e beleza: conheça os alimentos que deixam você mais bonito

Escrito por Maíra Bonilha
Sex, 08 de Abril de 2011 09:20
Homens vaidosos, atenção para a dica: antes de se submeter a tratamentos estéticos dolorosos para ficar mais bonito, faça uma pequena parada na geladeira. Adicionar algumas variedades de alimentos a sua dieta é um jeito fácil, prático e barato de melhorar sua aparência, clareando a esclera (parte branca do olho), prevenindo a queda de cabelo e limpando sua pele. Veja abaixo o guia de alimentos que pode tornar você mais atraente:

Espinafre

O alimento preferido do Popeye não vai fazê-lo explodir em músculos, mas é fato que o espinafre é rico nos carotenoides luteína e zeaxantina, que são ótimos para manter clara a parte branca dos olhos. Uma boa forma de consumi-lo é como acompanhamento de uma boa carne grelhada.

Ovos

Essas fontes de energia fazem os pratos mais rápidos. Ricos em ferro, os ovos ajudam a prevenir a perda de cabelo. Também são ricos em enxofre, que ajuda a manter o cabelo macio e vistoso.

Bananas

Elas mantêm sua pele bonita e elástica. Para ver como anda a elasticidade da sua pele, puxe e solte uma parte da pele de trás dos punhos. Quanto mais rápido ela voltar, mais elástica sua pele é. Fumar traz danos enormes à elasticidade da pele, e o potássio presente na banana pode ajudar.

Repolho roxo

Cheio de enxofre e iodo, o repolho roxo ajuda com a limpeza do seu organismo, auxiliando seu corpo a eliminar as toxinas que podem afetar sua pele. Se você sofre de acne, saiba que manter seu organismo saudável é tão importante – se não mais – do que qualquer produto que você utilize em sua pele.

Beterraba

Esse legume roxo é um forte aliado para ajudar na aparência. A beterraba contém betaína, que é um agente bioativo que contribui com a quebra de gorduras. Seu suco também contém uma substância que auxilia na digestão. Tudo bem que o suco de beterraba pode não ser muito atraente, mas experimente batê-lo no liquidificador com suco de laranja. Se isso não te apetece, tente fazer do suco um molho para salada, ou simplesmente coma o legume em sua forma natural. Mas não se assuste ao ir ao banheiro: após comer beterraba, é normal que as fezes fiquem com uma cor rosada.

Óleo de semente de uva

Não é muito comum, mas o óleo de semente de uva pode ser encontrado em casas de produtos naturais. Utilizado em produtos cosméticos, é rico em vitamina E, que ajuda a reduzir o aparecimento de rugas. É bom para usar em frituras ou temperar saladas.

Carne branca

Acredite: as mulheres olham para detalhes que para você não fazem muita diferença. Unhas, dentes, cabelos e até ouvidos limpos são conferidos. Por isso, não subestime a importância da saúde de suas unhas. A boa notícia é que é simples. Você apenas tem que beber bastante água e ter certeza de que está comendo proteína o suficiente. Isso não quer dizer que você deva se alimentar apenas de bifes pelo resto da vida. Dê preferência às carnes brancas como frango e peixe e não se esqueça de ter uma dieta variada, com muitas frutas e vegetais de cores vivas.

Goiaba

A goiaba é rica em antioxidantes que combatem os radicais livres que causam danos à pele e o deixam prematuramente velho. As goiabas também são ricas em vitamina C, contendo cinco vezes mais do que a laranja. Experimente comê-la in natura ou através de sucos e saladas de frutas. Se você não for fã da fruta, tente usá-la como produto de beleza, espalhando a polpa em sua pele. Deixe agir por alguns minutos e depois a lave com água.

9 resoluções para o homem perder peso


9 resoluções para o homem perder peso
Escrito por Maíra Bonilha
Sex, 15 de Abril de 2011 15:18
Você já sabe que para emagrecer deve aliar alimentação saudável e a prática de exercícios físicos. Mas como fazer isso? Veja algumas dicas mais específicas e práticas para você finalmente fazer com que os ponteiros da balança caiam!

9. Evite a inatividade

Quando você pensa em perder peso, logo pensa no papel que os exercícios têm para esse processo. Porém, não é apenas o nível de atividade que é determinante, mas também o nível de inatividade. Pense da seguinte maneira: se você faz uma corrida leve de 20 minutos todos os dias, você pode ficar potencialmente inativo por 23 horas e 40 minutos. Durante esse tempo, seu metabolismo diminui o ritmo, queimando menos calorias. Pequenas coisas como usar as escadas em vez do elevador, estacionar um pouco mais longe do local que você vai e levantar da sua mesa uma vez a cada hora para andar um pouco são simples estratégias que ajudarão seu corpo a manter os esforços na perda de gordura.

8. Sue todos os dias

Sendo ou não um rato de academia, essa regra se aplica a você. Se de alguma forma você deseja continuar progredindo em relação aos seus objetivos, é importante dar alguns passos em direção a eles todos os dias. Isso significa que você deve suar pelo menos uma vez por dia com algum tipo de atividade. E não precisa ser através de exercícios estruturados. Se você preferir atividades como caminhadas, escaladas ou futebol, vá em frente. O importante é que você invista consistentemente em seu progresso, fisicamente e psicologicamente.

7. Pratique um treino de resistência

A maioria das pessoas entende que para perder peso é necessário queimar mais calorias do que consomem. Infelizmente, poucos sabem como e quando as calorias são queimadas: a maior parte que você gasta ao longo do dia não é decorrente da atividade física ou exercício. Na verdade, cerca de 70% do seu gasto calórico vem da sua taxa metabólica de repouso ou metabolismo basal, que é a quantidade energética que seu corpo utiliza para o funcionamento de todos os órgãos. Ou seja, seu corpo queima calorias para sustentar a vida. O músculo é um dos tecidos mais metabolicamente ativos do corpo. Em outras palavras, manter a massa muscular requer mais calorias do que o osso ou gordura (e todas as outras estruturas dentro do corpo). Uma forma de aumentar seu metabolismo basal é acrescentar alguma massa muscular através de treinamento de resistência, que melhora a habilidade de gerar energia e diminuir a perda de velocidade sobre a distância e o tempo percorrido. Um circuito de treinamento de resistência é um ótimo meio de adicionar massa muscular e queimar muitas calorias no processo.

6. Coma aquilo que você possa caçar ou plantar

A nutrição ideal não precisa ser complicada como muitas pessoas pensam. O que se deve comer? O que é realmente a comida saudável? Aqui vai uma dica. Basta usar a fórmula: se você pode caçar ou plantar, é comida. Se não pode, não é. Muito simples, isso se aplica a frutas, vegetais, plantas, carne, castanhas, cereais e legumes. A meta aqui é ter uma dieta constituída de comida, e não de produtos feitos de comida. Claro, há produtos no mercado envolvendo restrição calórica e outros processos, mas a maioria dos homens vai conseguir progressos consideráveis aderindo ao plano de dieta natural descrito acima.

5. Planeje

Lembre-se do velho ditado: “Se você falha em planejar, está planejando falhar”. Esse é um bom conselho para quem deseja perder peso. Quando a fome vorazmente te atacar, você irá procurar a opção mais conveniente para saciá-la. Se essa opção está aliada a sua meta em perder peso, tudo bem. Se não, você com certeza irá abusar de alguma porcaria processada. Por isso, reserve algumas horas em um dia para separar e cozinhar a comida da semana. Também prepare algumas opções de lanchinhos saudáveis. Dessa maneira você estará armado para se defender de algum imprevisto.

4. Ponha todo o lixo para fora

Se as besteirinhas estiverem ali, você vai comê-las. É simples. Se você encher sua casa de vegetais frescos, carnes magras e gorduras saudáveis, você estará fadado ao sucesso. Mas, se suas prateleiras estiverem lotadas de bolachas, chocolates, salgadinhos e outros produtos similares, você fatalmente irá ser conduzido à direção oposta. Força de vontade é um recurso limitado. Você pode ter coragem de dizer não às opções erradas 2, 3, até 10 ou 30 vezes, mas eventualmente você vai se deixar levar. Não se sujeite às tentações: simplesmente jogue-as fora.

3. Construa laços com quem o apoia

É improvável que você ganhe peso por comer alimentos ricos em nutrientes e por praticar exercícios regulares. Foram seus hábitos errados que o fizeram ter esses quilos a mais. Por isso, é preciso alterar esses hábitos. Claro, não é fácil. Quando a força de vontade inicial for embora e você começar a pensar que não é assim tão ruim comer aquele hambúrguer ou faltar aos exercícios naquele dia, é hora de ter alguém que o ajude a mantê-lo na linha.

Quanto mais tempo você passar com as pessoas certas, melhor. O mais importante é que eles também queiram ajudar você a atingir seus objetivos. Naturalmente, a recíproca é verdadeira. Pessoas que o desviam de sua meta e o rodeiam com tentações podem ter um impacto profundamente negativo sobre seu progresso. Esta pode ser uma escolha difícil de fazer, mas talvez você precise diminuir a quantidade de tempo gasto com essas pessoas. Ou então explicar a situação e pedir ajuda. Quando alguém se sente uma influência para o sucesso de outrem, esse se torna mais propenso a querer ajudar.

2. Contrate alguém para instruí-lo

Perder peso significa construir um plano e segui-lo à risca. Trabalhar seu plano com alguém que o instrua poderá melhorar sua probabilidade de sucesso. Esse instrutor pode ser um nutricionista ou um personal trainer. Contratar alguém para auxiliá-lo ajudará você a atingir sua meta. E não é só isso: por ser um investimento financeiro, você se obriga a utilizá-lo de maneira correta. Embora seja apenas um reforço subconsciente, é uma boa ajuda.

1. Estabeleça metas e seja realista

A melhor forma de nunca atingir seus objetivos é não estabelecê-los. A diferença entre uma meta e um desejo é que a primeira é específica, realista. Escreva suas metas e coloque-as nos lugares em que você passa mais tempo, como na mesa de trabalho, no carro e na geladeira. De acordo com especialistas, um valor realista para a perda de gordura corporal por mês fica entre 0,5% e 1%. É importante manter isso em mente. Muitos esperam perder quantidades drásticas de peso em algumas semanas, mesmo que tenham demorado anos para acumular todos os quilos a mais. Seja realista, nada acaba com o progresso como o sentimento de decepção.

Mitos e verdades sobre a medicação para disfunção erétil


Mitos e verdades sobre a medicação para disfunção erétil
Escrito por Carlos Teodósio Da Ros   
Qua, 29 de Julho de 2009 15:04
pensativoO que é a medicação para disfunção erétil?

Normalmente, quando se fala de medicação para disfunção erétil (DE), entende-se medicação oral. E medicação eficaz traduz-se por inibidores da fosfodiesterase tipo 5 (PDE5), em que o princípio ativo sildenafil foi o precursor desta alternativa. Até 1998, não dispúnhamos de alternativas orais para o tratamento da DE.

Além da medicação oral, existem as medicações intracavernosas (prostaglandina E1, papaverina, fentolamina e clorpromazina) e as intra-uretrais (prostaglandina E1).

Como esses remédios funcionam no organismo?

Os inibidores da PDE5 bloqueiam esta enzima, que transforma o GMP cíclico em GMP, e desta maneira a musculatura lisa cavernosa do pênis, que deve ficar relaxada para obter/manter a ereção, entra em contração. Com estas drogas inibidoras da PDE5, consegue-se uma ereção mais rígida e mais prolongada.

Esses medicamentos funcionam para todos os graus de disfunção erétil?

Existem vários estudos nas mais diversas situações clínicas (diabetes, angina, hipertensão arterial, trauma raquimedular, etc.), onde existe resposta satisfatória frente a estas medicações, porém, quanto maior o grau de DE, isto é, maior a doença orgânica, menor pode ser a resposta às drogas orais.

Como deve ser utilizado?

Estas medicações alcançam concentrações séricas que permitem a sua ação em poucos minutos após a ingestão, mas é importante aguardar algum tempo, que é variável para cada indivíduo, até iniciar a atividade sexual. Praticamente não existe nenhum problema com a ingestão de bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de alimentos. E o período de ação das drogas também é bastante variável, dependendo de cada organismo.

Quem pode usá-lo?

Qualquer indivíduo que apresente alguma queixa relacionada à função erétil pode utilizar estes medicamentos. Existe uma contra-indicação absoluta que são aqueles pacientes que fazem uso de nitratos, que são medicações para tratar a angina de peito.

As mulheres podem usá-lo?

Não existe comprovação científica, até o momento, sobre a vantagem do uso desta classe de medicamentos pelas mulheres, mas existe pesquisa.

Os medicamentos para disfunção erétil podem causar ataque cardíaco?

 

As drogas apresentam uma proteção para o miocárdio, que é o músculo cardíaco. Estes medicamentos não causam infarto do miocárdio. O que acontece é que alguns homens, que não têm uma função cardíaca boa, iniciam uma atividade sexual, utilizando os medicamentos, e apresentam um infarto que é decorrência da atividade física da relação sexual, e não tem correlação com os medicamentos.

Qual a duração destes medicamentos no organismo? É possível que um homem fique excitado por mais de 12 horas?

 

Estes medicamentos apresentam um tempo de ação bastante variável, durando desde algumas horas até mais de um dia. Isto não significa que o paciente fique em ereção por este período. É importante lembrar que as drogas não causam ereção, e sim, facilitam a ereção. Um indivíduo pode ficar excitado, mentalmente, por mais de 12 horas, mas não fica em ereção durante este tempo. Existe uma situação clínica, denominada priapismo, onde a ereção pode perdurar por muitas horas, mas isto é uma situação de urgência, e se não for resolvida rapidamente, pode causar danos irreparáveis para a musculatura peniana.

Como esses medicamentos agem no psicológico dos homens?

Como o indivíduo pode passar a ter melhores ereções, existe uma recuperação da auto-confiança e auto-estima, com o uso das medicações. E pode ocorrer uma certa dependência da medicação, no que diz respeito à segurança que a medicação proporciona ao indivíduo.

Estes medicamentos geram benefícios para um homem que não precisa desse tipo de medicamento?

Existem estudos demonstrando que pacientes normais, que não apresentam DE, têm apenas um prolongamento de período de latência entre uma ereção e outra, mas nenhum efeito sobre a qualidade das ereções.

Quais são os efeitos colaterais?

Os principais são: cefaléia, rubor facial, obstrução nasal e dor lombar.

Os medicamentos para disfunção podem levar ao vício?

Vício não é o termo correto, mas pode haver alguma “dependência” das drogas devido à resposta que elas oferecem.

É aconselhável o uso desses medicamentos por longos períodos?

Existem vários estudos recentes demonstrando o benefício das drogas utilizadas por longos períodos. Existe uma maior atividade da musculatura lisa cavernosa, o que é benéfico para o meio ambiente peniano.

Para fazer efeito, esses medicamentos têm que ser tomados uma hora antes das refeições? Se misturado com bebida alcoólica, eles perdem o efeito?

Atualmente, não existem mais restrições em relação às refeições ou bebidas alcoólicas.

O que estes medicamentos trouxeram de mudanças para o homem?

Houve uma verdadeira revolução no tratamento da sexualidade, bem como na forma que os homens, em geral, passaram a encarar e discutir a sexualidade. Muitos deles conseguiram conversar mais abertamente sobre o assunto, o que não acontecia de forma tão “tranqüila” antes do surgimento do sildenafil. E também ficou muito mais fácil o tratamento, pois surgiram medicamentos eficazes e simples de serem utilizados, isto é, por via oral e apenas para ter atividade sexual.

 

Esses medicamentos melhoram a qualidade do sexo?

Sem dúvida, pois como melhoram a qualidade das ereções, consequentemente melhoram a qualidade do sexo . Isto é confirmado por pacientes e parceiras, em múltiplas pesquisas publicadas na literatura médica.

Houve avanços nesses medicamentos?

Há quatro drogas, disponíveis no mercado, pertencentes a esta classe de medicamentos (inibidores da PDE5).


Carlos Teodósio Da Ros é Urologista, Chefe do Departamento da Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia, Biênio 2008-2009. Fellow do Departamento de Andrologia do Serviço de Urologia da Universidade de Tulane, New Orleans, Luisianna, EUA. Presidente da Associação Brasileira para Estudo da Inadequação Sexual (ABEIS), Biênio 2006-2007. Chefe do Serviço de Urologia do Sistema de Saúde Mãe de Deus, Porto Alegre, RS. Contato: sbu@urologia.com Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.  

A disfunção erétil no Brasil e no mundo


A disfunção erétil no Brasil e no mundo
 
Escrito por Marcus Sousa   
Sex, 29 de Outubro de 2010 08:37
disfuncao_eretil_brasil_mundoDe acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a disfunção erétil atinge 1% dos homens abaixo dos 19 anos, 3% de 45 anos, 6,7% entre 45 e 55 anos e 25% até 75 anos. O primeiro estudo epidemiológico nessa área, que entrevistou 12 mil indivíduos, obteve o mesmo resultado e foi conduzido pelo médico Kinsey em 1948. No 1º Consenso Brasileiro de Disfunção Erétil, em abril de 1998, foi constatado que a disfunção erétil incide com maior frequência no homem idoso. Entretanto, tal associação não é atribuída apenas à idade, uma vez que os membros dessa faixa etária são mais propensos às doenças crônicas e debilitantes como diabetes, hipertensão arterial, infarto e acidente vascular cerebral.

Em 1985 a National Ambulatory Medical Care, dos Estados Unidos, revelou que foram realizadas 525 mil consultas motivadas por disfunção erétil, o que corresponde a cerca de 0,2% de todas as análises ambulatoriais registradas naquele ano no país. Os atendimentos por mil indivíduos por faixa etária saltaram de 1,5 consulta entre 25 e 34 anos para 15 consultas a partir dos 65 anos. No mesmo ano, um estudo epidemiológico efetuado na Frankfurt Study on the Virile Climacteric, na Alemanha, incluiu entrevistas com 240 homens entre a idade de 35 e 64 anos; e os resultados revelaram que 55% deles referiram diminuição de libido e 29% fizeram queixas de disfunção erétil. Nos anos de 1987 e 1989, ocorreu o MMAS – Massachusetts Male Aging Study –, que abordou 1.290 homens, entre 40 e 70 anos, registrando seus problemas. O resultado revelou que 52% dos entrevistados tinham algum grau de disfunção erétil.

Dessa soma, 10% são classificados como completamente impotentes, 25% disseram ser moderadamente impotentes e 17% responderem sofrer de mínima impotência.

Atualmente, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a disfunção erétil atinge – em algum grau (leve, moderada ou severa) – cerca de 50% dos homens em todo o mundo. Desses, apenas 10% procuram algum tipo de tratamento.

De modo geral, quase todos aqueles que são sexualmente ativos já experimentaram um episódio de disfunção erétil pelo menos uma vez na vida.

No Brasil

Um levantamento realizado com mais de 3.000 homens em cinco capitais do Brasil aponta que eles estão satisfeitos com a vida sexual, se preocupam com o prazer feminino e falam tranquilamente sobre sexo com a parceira. Mas a disfunção erétil ainda é tabu.

A pesquisa denominada “Sexualidade e Saúde Masculina”, realizada pela Bayer Schering Pharma, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia – Seccional São Paulo (SBU-SP), e conduzida pelo Ambulatório de Sexualidade (AmbSex), ouviu durante o mês de junho de 2010 3.026 homens com idades entre 16 e 90 anos. O resultado mostrou que 86,95% dos pesquisados afirmaram estar satisfeitos com sua vida sexual, sendo que 61,70% disseram ter relações de 2 a 4 vezes por semana.

Técnica de respiração de relaxamento pode auxiliar o tratamento de doenças crônicas


Técnica de respiração de relaxamento pode auxiliar o tratamento de doenças crônicas
Escrito por Rafael Vercelino   
Sex, 29 de Outubro de 2010 15:06
respiracao-de-relaxamentoAs técnicas de relaxamento são exercícios fáceis de aprender e são usadas para auxiliar o tratamento de diversas doenças crônicas.

Para iniciar a respiração de relaxamento, é necessário deitar-se de barriga para cima.

Mantenha a cabeça reta, encostada sobre um travesseiro, e os braços estendidos ao longo do corpo. As pernas devem ficar estendidas de forma natural. Mantenha os olhos parcialmente fechados. Feche naturalmente a boca e mantenha a língua levemente encostada no céu da boca. Inspire e expire naturalmente pelo nariz.

Durante a respiração de relaxamento se faz uso de determinadas palavras para alcançar a quietude mental e a tranquilidade do corpo. Ao inspirar pense na palavra quietude e ao expirar pense na palavra relaxar. Ao pensar na palavra relaxar permita que uma determinada parte de seu corpo relaxe. Relaxe uma parte durante cada ciclo respiratório, seguindo a seguinte ordem: primeiro a cabeça e o pescoço, a seguir, os braços, as mãos, as costas, a barriga e a cintura. Depois as nádegas, as pernas e finalmente os pés.

GUIA para a respiração de relaxamento

Estou deitado e mantenho meu corpo confortável e relaxado. Inspiro e expiro naturalmente.

Digo em silêncio as palavras quietude e relaxar. Penso na palavra quietude enquanto inspiro e na palavra relaxar enquanto expiro.

Enquanto digo em silêncio a palavra relaxar, peço aos meus músculos que relaxem.

Primeiro relaxo a cabeça, os braços e o pescoço. Depois as costas e a barriga, passando pela cintura e nádegas. Por fim, peço às minhas pernas e aos meus pés que relaxem. Depois de repetir isso três vezes para deixar meu corpo à vontade, peço para todos meus órgãos e cavidades que relaxem.

Mantenho o ritmo da respiração estável, reduzido e uniforme, quando me encontro num estado de quietude mental.

Como se estivesse dormindo, desfruto do meu relaxamento, porém fico desperto.

Após permanecer nesse estado durante um curto período de tempo, esfrego meu rosto, levanto-me, caminho e sinto-me bem.

 

Rafael Vercelino é Doutor em Fisiologia Humana (UFRGS) – Especialista em Acupuntura (COFFITO) – Especialização Latu Sensu no Tratamento da Dor e Medicina Paliativa (HCPA – UFRGS) – Membro da International Association for the Study of Pain (IASP) e da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED) – Certificação em Tratamento da Dor pela SBED – Pós-Graduando (Latu Sensu) da Escuela de Osteopatia de Madrid Internacional – Pesquisador Colaborador do Departamento de Físico-Química da UNICAMP.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 132 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: